Doe agora

SOS AMAZÔNIA

Fridays For Future Brasil pelo enfrentamento da crise COVID-19 nas comunidades tradicionais da Amazônia

Compartilhe no Whatsapp

UMA INICIATIVA NOSSA, DE ATIVISTAS

DO BRASIL E DO MUNDO!

No ano passado, nós marchamos pelas ruas, alertando o mundo sobre a emergência climática. Escutamos promessas de um mundo melhor e de uma sociedade mais sustentável. Agora voltamos com um pedido de ajuda a todos que estão dispostos a lutar contra esta nova crise. As autoridades públicas do coração da Amazônia emitiram um pedido de socorro ao mundo – e isso não pode ser ignorado.

As comunidades indígenas e ribeirinhas amazônicas são as maiores protetoras da floresta e fundamentais na luta contra as mudanças climáticas.

A pandemia da COVID-19 tem efeitos devastadores sobre essas populações, devido às crises no sistema de saúde, à diminuição de renda, à fome e às ameaças aos seus territórios.

DAR FORÇA PARA QUEM PROTEGE A FLORESTA

SAÚDE

O sistema de saúde de Manaus, a capital do estado do Amazonas, cidade de referência para grande parte dos povos tradicionais da maior parte da Amazônia, entrou em colapso. Assim, as vidas de milhares de pessoas entraram em risco. A equipe da prefeitura da capital denunciou mais de 100 mortes por dia em decorrência da Covid-19, quadro que pode ser ainda mais grave em função das subnotificações. Precisamos ajudar tanto as populações rurais quanto as urbanas a conter a disseminação do vírus e assim evitar a destruição do coração da floresta amazônica.

LUTA CONTRA AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

A emergência climática é o maior desafio da nossa geração. É um caminho sem volta rumo à extinção de toda as sociedades do planeta que precisamos evitar. A morte em massa da população da Amazônia e, ressaltamos, das populações nativas, será uma perda com consequências globais.

DAR FORÇA PARA QUEM PROTEGE A FLORESTA

As comunidades indígenas e ribeirinhas amazônicas são as maiores protetoras da floresta e fundamentais na luta contra as mudanças climáticas.

A pandemia da COVID-19 tem apresentado um efeito devastador nestas populações, devido as crises no sistema de saúde, a diminuição de renda, a fome e a ameaças aos territórios.

SAÚDE

O sistema de saúde de Manaus, a cidade de referência para grande parte dos povos tradicionais da maior parte da Amazônia, colapsou, e assim fez com que vidas de milhares de pessoas ficassem em jogo. A equipe da prefeitura da capital nos denunciou mais de 100 mortes por dia em decorrência da COVID-19, cujo resultado sequer é apurado devido às subnotificações. Essa cidade serve como referência. Precisamos ajudar tanto a população tradicional como a urbana, para evitar a destruição do coração da floresta amazônica e também impedir a disseminação do vírus.

Temos que considerar que além de defender as florestas, os povos indígenas carregam consigo milhares de anos de sabedoria medicinal, práticas agroecológicas, culturas cosmológicas e ensinamentos sobre a harmonia com a natureza. Tudo isso se esvai quando uma vida indígena é perdida, pois o repasse da cultura indígena é baseado na oralidade e, por isso, não existem muitos registros escritos sobre toda essa rica herança cultural. Do sangue indígena nenhuma gota a mais, seja ela pelo covarde assassinato ou pela má administração da crise da saúde.

AMEAÇA NA SEGURANÇA ALIMENTAR E SANITÁRIA

LUTA CONTRA AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

A emergência climática é o maior desafio da nossa geração. É um caminho sem volta rumo à extinção de toda a sociedade, de todos os países, de todos os continentes. A morte em massa da população da Amazônia, e ressaltamos, das populações nativas, será uma perda com consequências globais.

PLANO DE GOVERNO BRASILEIRO

Além de ignorar a crise pela qual estamos passando, o nosso governo atual se mostrou extremamente anti ambientalista. Ano passado, Bolsonaro falou que o desmatamento é “cultural” no país e que não vai acabar. Em 2019, a área total desmatada da Amazônia foi de 172 mil de campos de futebol. Nesse ritmo e com essas atitudes, a biodiversidade do Brasil e do mundo chegará a um ponto sem retorno. Isso é o perfil de um governo ecocida e genocida, que coloca o lucro acima de vidas, da natureza e do futuro da humanidade, e que foge quando suas irresponsabilidades e incapacidades são expostas.

O GOVERNO BRASILEIRO É ANTI AMBIENTALISTA

Por decisão judical do Supremo Tribunal Federal brasileiro, o Governo de Bolsonaro foi obrigado a entregar, na íntegra, o vídeo da reunião com seus ministros que aconteceu no dia 22 de abril deste ano.


Neste vídeo, o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, deixa claro que o ministério do meio ambiente e outros ministérios devem aproveitar o desvio de foco da imprensa causada pela pandemia para aprovar portarias e medidas de um plano de governo que é declaradamente predatório.

Assista o trecho da reunião com a fala do Ministro Ricardo Salles

NOSSOS ALIADOS PRECISAM DE AJUDA!

"As consequências da morte dos povos da Amazônia e da destruição da floresta amazônica serão globais"

Doe agora

Greta Thunberg

Se nós não ajudarmos as populações da Floresta Amazônica, estaremos permitindo que ambas a crise climática e a crise do novo coronavírus se desenvolvam.


Ajudando a população urbana, ajudaremos também os povos tradicionais, uma vez que os hospitais terão mais espaço e recursos para tratá-los adequadamente com segurança e eficiência.

CORONAVÍRUS NO ESTADO DO AMAZONAS

76.014

6.482

2.929

indígenas com coronavírus

Casos de coronavírus

mortes por coronavírus

1.023

aldeias indígenas em alerta

2

comunidades ribeirinhas em alerta

1

morte de ribeirinho confirmada

Fonte: CIEVS/ASTEC, dados do dia 15/06/2020

371

mortes de indígenas por coronavírus

Nós, estudantes, tomamos as ruas do mundo em grandes demonstrações públicas nos últimos dois anos pedindo que preservem o nosso futuro e o das próximas gerações, agora voltamos a nos manifestar para pedir que evitem o desaparecimento dos povos da floresta amazônica!

Doe agora

Por favor,

salvem Manaus.

Salvem a Amazônia.

#DefendTheDefenders

COMO FUNCIONA

O Fridays for Future não constitui uma organização formal. Assim, não temos a liberdade, nem a estrutura, para doar o dinheiro diretamente. Por isso, escolhemos uma instituição para receber o dinheiro e encaminhar os recursos para lugares e comunidades determinados pelos ativistas envolvidos no projeto.

As comunidades que irão receber dinheiro

serão escolhidas pelo Fridays For Future

META DE ARRECADAÇÃO

R$1.000.000,00

- 20% para o Alto Rio Negro

REGRA DE DISTRIBUIÇÃO

- 30% para Lábrea e Purus

- 45% para comunidades de Manaus e entorno

- 05% Eventuais transtornos e novas ideias

Doe agora

No alto rio negro, vamos direcionar os recursos para o território de Santa Isabel, e as comunidades atendidas serão as Yanomami. Na região de Lábrea e Purus, estaremos direcionando para as terras de Caititu , Tapaua e Deni, e serão atendidos os povos Paumari, Apurinã, Deni, Jamamdi e Jarauwara. Em Manaus e seu entorno, esperamos conseguir beneficiar 19 comunidades diferentes e um total de 1489 famílias.

ONGS PARCEIRAS

ALIANÇA dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus

Através da parceria com a Fundação Amazonas Susntável (FAS) e a Organização da Aliança, conseguimos entender as demandas das populações mais afetadas e direcionar os recursos com mais eficiência e transparência.

A nossa ideia é doar itens básicos de higiene e alimentação, e investir em equipamentos de saúde. Por isso, escolhemos uma instituição para receber o dinheiro e encaminhar para diferentes lugares. As comunidades beneficiadas foram escolhidas segundo critérios como número de casos, distância, impacto das ações e replicabilidade


Ao longo do encaminhamento dos recursos, informaremos tudo que está sendo comprado e para quais comunidades, para manter tudo transparente. É importante ressaltar que tudo que for comprado será determinado pelo Fridays For Future, não pela instituição que encaminhará os recursos.

TRANSPARÊNCIA E APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Você pode doar o quanto sentir que consegue, e qualquer quantia que escolher para contribuir vai ajudar - até mesmo as pequenas ações podem ter um impacto positivo muito grande.

E lembre-se: ninguém é pequeno demais para fazer a diferença.

Doe agora

ODS SOS Amazônia

A nossa ideia é doar itens básicos de higiene e alimentação, e investir em equipamentos de saúde. Por isso, escolhemos uma instituição para receber o dinheiro e encaminhar para diferentes lugares. As comunidades beneficiadas foram escolhidas segundo critérios como número de casos, distância, impacto das ações e replicabilidade


Ao longo do encaminhamento dos recursos, informaremos tudo que está sendo comprado e para quais comunidades, para manter tudo transparente. É importante ressaltar que tudo que for comprado será determinado pelo Fridays For Future, não pela instituição que encaminhará os recursos.



Existem 17 ODS e 169 metas em todos eles e por meio de um estudo pudemos mapear que aSOS Amazônia contribui com 9 desses 17 que são:

ATIVISTAS ENVOLVIDOS NO PROJETO

Estes são 16 ativistas climáticos de diferentes lugares do mundo que fazem parte do movimento Fridays For Future (Sextas-feiras pelo futuro – Greve Pelo Clima). Este movimento consiste em milhões de ativistas espalhados pelos continentes para advogar que seus governos sigam o Acordo de Paris e parem de poluir a atmosfera com CO2. Além de sua colaboração internacional, cada jovem ativista deste projeto trabalha em questões mais específicas em seus países e comunidades para promover as mudanças necessárias dentro de suas organizações.

20, é um ativista climático brasileiro da Floresta Amazônica que participa do movimento Fridays For Future em Portugal e no Brasil. Seu ativismo é focado em promover uma economia mais sustentável para a sociedade, fontes sustentáveis de energia e a preservação da maior floresta tropical do mundo. Além disso, justiça social para todos em todos os lugares e um mundo mais unido. Acredita que todos os líderes globais devem agir imediatamente contra a emergência climática, ou ser substituídos.

Abel Rodrigues

Amália Garcez

17, uma ativista climática do sul do Brasil, é parte do movimento Fridays for Future, atuando localmente, nacionalmente e internacionalmente. Amália foca seu ativismo na luta pela justiça social e climática, trabalho em rede e em conectar pessoas de grupos diferentes para fortalecer a aula climática. Ela deseja incentivar pessoas de todas as idades a tomar medidas para evitar a crise climática e conscientizar outras questões sociais ligadas ao meio ambiente. Localmente, ela está envolvida na oposição à mineração e fracking de carvão - tendo protestado e falado publicamente contra uma mina de carvão que seria construída perto de sua cidade de Porto Alegre. Amália também está interessada na saúde planetária e em encontrar novas maneiras de o planeta Terra permanecer cheio de vida. No geral, apenas esperando fazer o máximo possível para garantir um bom futuro para a humanidade e para o planeta.

17, é uma ativista climática norte-irlandesa que faz greves pelo clima sozinha, representando o Fridays for Future Belfast e NISCN.

Anna Kernahan

17, é uma ativista climática kiwi no movimento da Greve Escolar Pelo Clima na Nova Zelândia. Atualmente, o movimento está trabalhando em uma grande campanha para promover o ‘Green New Deal’, um projeto que eles criaram em colaboração, ordenando que seu governo tenha uma forte consciência ambiental quando tomando todas as decisões de recuperação pós pandemia.

Aurélie Bray

19, é uma ativista climática portuguesa no movimento Fridays for Future. Seu ativismo está focado na interseccionalidade da luta contra as mudanças climáticas, em como a justiça climática significa e é justiça social; e na importância e o papel da arte no ativismo. Ela luta pelos direitos humanos e animais e acredita que a "máquina fóssil" deve parar para que todos nós, seres vivos, tenhamos um futuro digno na Terra.

Bianca Castro

18, é membro do Fridays for Future Brasil (FFFBR) desde de 2019, onde atua na comunicação, elaboração de projetos e redes sociais. Também é ativista na organização de liderança jovem Engajamundo, na implementação da Agenda 2030 e seus ODS. Pelo FFFBR além de ser responsável por pesquisas de apoio ao grupo, elaboração e execução de projetos, organiza as manifestações em combate às mudanças climáticas, em Goiás. No EngajaMundo, defende firmemente as causas sociais como a erradicação da pobreza, igualdade de gênero e ação contra a mudança global do clima.

Daniel Holanda

15, é uma ativista brasileira da Floresta Amazônica. Iniciou o movimento sextas-feiras para o futuro em Belém para alertar a sociedade da Amazônia sobre o impacto da destruição da floresta..

Fernanda Rodrigues

Greta Thunberg é uma ativista climática e ambiental sueca que começou a fazer greves escolares pelo clima na frente do parlamento sueco em agosto de 2018. Agora ela é uma organizadora ativa, tanto localmente em Estocolmo, sua cidade natal e nacionalmente na Suécia, quanto internacionalmente dentro do movimento fridaysforfuture.

Greta Thunberg

18, é um ativista socioambiental que integra o grupo nacional e o núcleo local da greve climática no brasil, respectivamente Fridays for Future Brasil e Jovens pelo Clima Brasília. Os focos da atividade dele são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, a atuação da juventude nos campos de decisão e a luta contra as ações de greenwashing de empresas e países que querem se aproveitar da luta ambiental para se promover.

Iann Coêlho

19, é uma ativista climática sueca e participa do movimento Fridays For Future. Isabelle concentra seu ativismo e estudos principalmente o aspecto de justiça climática da crise climática; uma transição para uma sociedade pró clima que garanta equidade e padrões de vida aceitáveis para todos, especialmente para as pessoas mais vulneráveis às consequências da crise climática. Com isso, ela quer dizer que Suécia e mais países do Norte Global devem assumir a responsabilidade por suas emissões atuais e históricas antes de exigir que outros façam o mesmo.

Isabelle Axelsson

21 anos, ativista climático atuante no Friday For Future Brasil e Friday For Future Amazônia, facilitador do Greenpeace Manaus e membro do conselho criativo ambiental presidido pela comissão de meio ambiente e desenvolvimento sustentável da assembleia legislativa do estado do Amazonas, focado em mobilização e engajamento social e incidência política nos espaços de tomadas de decisões, luta em defesa do meio ambiente e pela paz inspirando pessoas a mudarem atitudes e comportamentos e a serem responsáveis pelo planeta, para um mundo ambientalmente seguro e socialmente justo que ofereça esperança para está e para as futuras gerações.

Janderson Sarmento

João Duccini

21, é um ativista brasileiro que luta pelo clima e pelos animais, com o movimento Fridays for Future e Anonymous for the Voiceless. Ele luta por emissões líquidas de carbono zero e pelo fim da exploração animal em direção à coexistência pacífica dos seres humanos e da natureza. Ele também busca uma sociedade baseada na igualdade, onde as pessoas sejam aceitas por quem são sem serem julgadas. João administra “@ 7ourworld”, uma página do Instagram onde tenta conscientizar as pessoas sobre os impactos negativos das ações humanas nas mudanças climáticas e na indústria animal, estudando dados científicos, livros, artigos e relatórios.

24, é ativista climática e estudante alemã. Ela é uma organizadora da greve escolar pelo clima na Alemanha e defende uma política climática que cumpra e supere o Acordo de Paris. Neubauer faz parte da Aliança 90/Os Verdes e da Juventude Verde.

Luisa Neubauer

indígena do povo sateré Mawé, estudante de biologia da universidade do Estado do Amazonas, associada na associação de mulheres indígenas sateré Mawé- AMISM e participante do movimento dos estudantes indígenas do Amazonas-Meiam.

Samela Sateré Mawé

Sandyely Vilacio

Estudante e indígena do povo sateré Mawé.

16 anos, é ativista social e climática brasileira, atuando no Fridays for Future e no Jovens Pelo Clima - Brasília. Ela concentra seu trabalho na influência direta entre mudanças climáticas, degradação ambiental e relações interpessoais. Um de seus objetivos é incentivar a juventude a se mobilizar para lutar por seu direito de coexistir com um ambiente ecologicamente seguro e favorável à vida, além de aumentar a conscientização sobre o perigo do colapso climático.

Valentina Ruas

Eles protegem o nosso futuro. Agora é hora de protegermos o presente deles para que possam ter um futuro também.

Doe agora

Por favor, salvem Manaus. Salvem a Amazônia. #DefendTheDefenders


Esta campanha utiliza as soluções da Welight para arrecadar recursos. Juntos, vamos além da tecnologia para acelerar as transformações necessárias para se atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e equilibrar as relações entre as pessoas e o planeta.

2020 Welight ®

Doe agora

Atendimento: Seg à sex das 9h00 as 18h00

São Paulo - Rua Samuel Morse, 74

London - Lower Road, City Business - Centre, Unit 44

Redes Sociais

Termos e condições de uso
Política de privacidade

Grupo Welight

Termos

Fale conosco

E-mail: campanhas@welight.co

Whatsapp +55 11 94397-4597

Quem somos
Instituto Welight